Atualizações CDC Diretrizes SSI (ICC): 5 Coisas que você deve saber

Quando falamos sobre a prevenção de infecções cirúrgicas (SSI), a evidência é a ferramenta número um do enfermeiro perioperatório. É por isso que a comunidade perioperatória tem aguardado ansiosamente a publicação da última atualização das Diretrizes para Prevenção de Infecções em Centro Cirúrgico (Guideline for Prevention of Surgical Site Infection) do Centers for Disease Control and Prevention (CDC - Centros de Controle e Prenvenção de Doenças), feita por um grupo de profissionais especializados e do Healthcare Infection Control Practices Advisory Committee (HICPAC - Comitê Consultivo para Práticas de Controle de Infecções na Área de Cuidados à Saúde).

Com atualizações relacionadas ao monitoramento glicêmico e à oxigenação, entre outros, assim como uma seção completamente nova sobre prevenção de infec- ções em centros cirúrgicos na realização de artroplastia prostética de articulação, os profissionais perioperató- rios, com a colaboração de seus colegas que trabalham na prevenção de infecções, precisarão ler as Diretrizes revisadas e fazer as adaptações necessárias à sua prática, recomenda um dos autores das Diretrizes, George Allen, que atua na área de prevenção de infecções e que trabalha atualmente no New York-Presbyterian Brooklyn Methodist Hospital (Hospital Metodista e Presbiteriano do Brooklin, Nova Iorque).

“A chave para compreender estas atualizações e como elas podem mudar a prática perioperatória é entender a abordagem classificatória das novas evidências que o comitê do CDC do HICPAC utilizou para fazer estas revisões”, afirma Allen. Segue abaixo uma breve descrição da escala classificatória das Diretrizes revisadas:

Categoria IA: Uma forte recomendação sustentada por evidência de qualidade alta a moderada, que sugere benefícios ou malefícios clínicos na rede;

Categoria IB: Uma forte recomendação sustentada por evidência de baixa qualidade, que sugere benefí- cios ou malefícios clínicos ou prática aceita (ex.: técnica asséptica) na rede;

Categoria IC: Uma forte recomendação exigida por regulamento estadual ou federal;

Categoria II: Uma recomendação fraca sustentada por evidência de qualquer qualidade, que sugira uma troca entre os benefícios ou malefícios clínicos;

Assunto sem recomendação/solução: Um assunto sem solução, para o qual há evidência de qualidade baixa ou muito baixa, com incerteza quanto à troca entre benefícios e malefícios, ou evidência não publicada sobre resultados considerados críticos quanto à avaliação dos riscos e benefícios de uma dada intervenção.

“O ponto central desta atualização foi fazê-la realmente baseada em evidências, de acordo com questionamentos específicos da prática e baseada numa revisão sistemática e focada nas melhores evidências clínicas. Fazer parte deste processo foi muito esclarecedor,” diz Allen. Ele avisa que em certos casos, como em certos aspectos da profilaxia de antibiótico parenteral, uma recomendação previamente feita nas Diretrizes agora pode ser observada como assunto “sem recomendação/solu- ção”, porque pode haver falta de evidência de alta qualidade que apoie a ação.

5 possíveis mudanças na prática de Enfermagem Perioperatória

Seguem abaixo cinco revisões das Diretrizes atualizadas que, de acordo com Allen, deveriam ser compreendidas e adereçadas imediatamente pela Enfermagem Perioperatória. Ele acrescenta que enfermeiros perioperatórios deveriam familiarizar- -se com todas as atualizações nas Diretrizes revisadas completas, inclusive aquelas que não foram mencionadas aqui.

1. Controle glicêmico
A recomendação atualizada da Categoria IB para a Categoria IA sugere a implementação do controle glicêmico perioperatório, com os níveis alvo de glicose no sangue específicos <200mg/dL, em pacientes diabéticos e não diabéticos. Allen diz que esta atualização é muito importante, porque agora ela inclui tanto pacientes diabéticos quanto não diabéticos, sendo classificada com alta evidência e significativa quanto à observação do alcance de ní- vel dL alvo específico ao qual os profissionais perioperatórios devem prestar atenção.

  • Implementar controle glicêmico perioperatório e usar níveis alvo de glicose no sangue <200mg/dL em pacientes diabéticos e não diabéticos (Categoria IA).

2. Normotermia
A recomendação para uma nova Categoria IA sugere a manutenção da normotermia perioperatória. Allen diz que esta é uma evidência nova, que baseia-se na classificação mais alta e que deveria ser observada por todos os profissionais perioperatórios.

  • Manter a normotermia perioperatória (Categoria IA).

3. Oxigenação
A nova recomendação para a Categoria IA sugere a administração de fração de oxigênio inspirado mais alta (FiO2), tanto intraoperatoriamente, quanto pós extubação no período pós-operatório imediato. Allen diz que esta é uma ação específica importante que os enfermeiros perioperatórios devem cumprir na prevenção de infecções do bloco cirúrgico.

  • Para pacientes cuja função pulmonar é normal e que tenham sido submetidos à anestesia geral, com entubação endotraqueal, administrar frações crescentes de oxigênio inspirado (FiO2 ), tanto intraoperatoriamente, quanto pós extubação durante o período pós-operatório imediato, para otimizar o fornecimento de oxigênio ao tecido, manter a normotermia perioperatória e fazer a substituição de volume adequada (Categoria IA).

4. Profilaxia antimicrobial parenteral
Há uma mudança de Categoria da IA para a IB e leve alteração do texto em relação à administração de agentes antimicrobianos no pré-operatório, que demonstram a quantidade de fortes evidências.

  • Administrar agente antimicrobiano no pré-operatório somente quando indicado, com base em diretrizes clínicas práticas e temporizadas, de forma que a concentração bactericida do agente seja estabelecida.

5. Profilaxia antimicrobiana não parenteral
Há várias recomendações atualizadas nesta seção, que mostram a não recomendação/classificação não solucionada devido à falta de evidência elevada, que inclua ações feitas intraoperatoriamente e ao final do procedimento cirúrgico em relação à incisão cirúrgica. Por exemplo, uma recomendação Categoria IIB aconselha a não haver aplicação de agentes antimicrobianos na incisão cirúrgica:

  • Não aplicar agentes antimicrobianos (ex.: cremes, soluções, talcos) na incisão cirúrgica para prevenção de infecção do local operado (Categoria IB).

 

Novas recomendações para artroplastia prostética de articulação

Qualquer profissional perioperatório atuante em procedimentos cirúrgicos que envolvam artroplastia prostética de articulação deveria observar as recomendações avaliadas por evidências que fazem parte de uma seção totalmente nova das Diretrizes revisadas. Estas recomendações abordam:

  • Transfusões de hemocomponentes;
  • Terapia imunosupressora sistêmica;
  • Injeção intra-articular de corticosteroide;
  • Anticoagulação;
  • Vestimenta espacial ortopédica (Orthopaedic space suit); 
  • Duração da profilaxia antimicrobiana pós-operatória com uso de dreno;
  • Biofilme.

 

Próximos passos

Allen sugere que explorar as evidências que apoiam as recomendações novas e revisadas é um passo importante no processo de avaliação destas novas Diretrizes.

“Note as recomendações da Categoria IC que demonstram os requisitos atuais lançados pelos regulamentos estaduais e federais”, diz Allen. Ele diz que há uma boa chance dessas últimas recomendações prá- ticas já estarem em uso em um bom número de instalações de saúde ao redor do país, assim como não. Por isso, ele sugere que haja uma avaliação cuidadosa do documento revisado e das práticas atuais.

“O ponto principal é comparar cuidadosamente polí- ticas já existentes, procedimentos e atividades de primeira linha em relação a essas Diretrizes revisadas”, ele aconselha. Essa revisão precisa ser feita em esfor- ço de colaboração entre todas as partes interessadas, incluindo profissionais perioperatórios, prevencionistas de infecção e outros para assegurar que a evidência tenha sido compreendida e implementada de forma consistente na disseminação de práticas padrão que protejam pacientes da ICC.”

 

Recursos adicionais

Leia as CDC revisadas.

 

Para gerentes:

Você está reavaliando os passos no seu pacote para ICC? Separe um tempo para participar do encontro da AORN sobre este tema na primavera em uma cidade perto de você.

Link: https://www.cdc.gov/infectioncontrol/guidelines/ssi/index.html
Data de publicação: 10 de maio de 2017
Fonte: AORN
Tradução: SOBECC Nacional



Área do Associado

Para se associar, atualizar pagamento e cadastro
Entrar