Portugal é opção para pós-doutorado no exterior

Para quem deseja fazer o pós-doutorado fora do Brasil, Portugal reúne a tríade: excelência acadêmica, idioma em comum e custo acessível. Acordos firmados entre Brasil e Portugal, hoje facilitam esse intercâmbio. Aproveitando as vantagens oferecidas, a Profa. Dra. Cristiane Pavanello elegeu Portugal para fazer o seu pós-doutorado e está residindo no país há seis meses. Ela nos conta em entrevista sobre o processo, da validação do diploma e outros documentos exigidos pela instituição de ensino para ingressar no programa de pós-doutoramento (como chamam em Portugal) aos desafios e alegrias de morar e estudar no país.

SOBECC: Por que escolheu Portugal para o seu pós-doutorado?
Cristiane Pavanello Rodrigues Silva: Nos meus 30 anos de formação, para além da assistência, dediquei minha carreira à docência e à pesquisa. Aproximeime das Escolas Superiores de Saúde de Coimbra, Lisboa e Porto, interessei-me pela possibilidade de cursar um pós-doutorado no país e busquei informações. No início de 2016 comecei a me preparar. Portugal se tornou acessível em função da maior facilidade em ingressar nos programas de pós-doutorado, devido aos convênios de intercâmbio de estudo entre os países, pela facilidade do idioma e por oferecer, ainda, melhor custo de vida, em relação a outros países europeus. 

SOBECC: Como foi o processo para aceitação no programa de pós-doutorado?
Cristiane: Cada universidade tem o seu regulamento. O candidato deve entrar no site da instituição que deseja ingressar à vaga de pós-graduação, mestrado, doutorado e/ou pós-doutorado e verificar os requisitos e as exigências. Sendo doutora no Brasil, o meu processo foi mais rápido. Antes de enviar toda documentação exigida para análise, precisei solicitar o reconhecimento do título junto à Reitoria da Universidade do Porto. Cerca de um mês depois, recebi a resposta validando meu título como doutora também em Portugal. Formalizei, então, minha candidatura ao pós-doutorado na Universidade Católica Portuguesa do Porto (UCP). Em relação aos trâmites, seguem como no Brasil. Análise de Curriculum vitae e das documentações, além da entrevista. Algumas universidades no Brasil já oferecem dupla titulação, como a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em parceria com a UCP. Há oportunidades também para quem busca graduação, mestrado e doutorado. 

SOBECC: Quais outras vantagens você destaca em estudar em Portugal?
Cristiane: Além das mencionadas, cito como vantagens estar em um país cuja comunidade científica do setor da saúde está em expansão, oferecendo excelentes cursos, e, ainda, poder contribuir com as pesquisas internacionais, participar dos eventos europeus de projetos de pesquisas financiados pela União Europeia e trabalhar em toda Europa, por exemplo, visando o aprimorando da carreira e o enriquecendo do currículo.

SOBECC: Você foi convidada a dar aulas em uma universidade? Como está sendo 
 a experiência?
Cristiane:
Surgiu o convite para ser professora adjunta na Escola Superior de Saúde de Santa Maria (ESSSM) no Porto, e, posteriormente, coordenadora do curso técnico superior de Gerontologia e Cuidados de Longa Duração, e também fui nomeada coordenadora do subprojeto vintAGEING65+, na mesma escola. Ganhar essas coordenações demonstrou uma grande confiança que a instituição depositou em mim. Sinto-me honrada. Os alunos e os outros professores são ótimos e já estabelecemos uma boa comunicação e convivência.

SOBECC: Quais foram os principais desafios?
Cristiane:
Além da burocracia com os documentos para estudar e morar no país, Portugal é muito parecido com o Brasil nesse aspecto, sem dúvida, ficar longe da família e se organizar financeiramente. Outro grande desafio foi ser aceita na comunidade acadêmica. 

SOBECC: E como está sendo viver em Portugal?
Cristiane:
Moro na cidade do Porto. O lugar é encantador e a vizinhança tem sido bastante acolhedora, o que tem ajudado na minha adaptação no país. O que me surpreendeu positivamente foi a tranquilidade e a pouca violência na cidade. Tenho uma sensação de segurança maior do que no Brasil. Conheci lugares maravilhosos nesses seis meses. Mas tenho muito turismo para fazer. Meu marido já está aqui e minha filha mais nova pediu transferência e está cursando faculdade de Comunicação e Marketing. A mais velha constituiu família no Brasil. Mas, nossa intenção é morar definitivamente em Portugal.
 

Cristiane Pavanello Rodrigues Silva é graduada pela Escola de Enfermagem da Universidade São Paulo (EEUSP), mestre em Saúde do Adulto pela EEUSP e doutora em Ciências da Saúde, também, pela EEUSP. Atualmente está no programa de pós-doutorado da Universidade Católica Portuguesa(UCP), da cidade do Porto.
Contato: cristiane.silva@santamariasaude.pt



Área do Associado

Para se associar, atualizar pagamento e cadastro
Entrar